o Amor é a medida certa que Jesus viveu



Queridos irmãos e irmãs, estamos celebrando o 5º Domingo da Páscoa, Jesus surge em vários momentos aos apóstolos como no Cenáculo, na pesca milagrosa e na figura do Rebanho, mostrando do que Jesus é o bom Pastor. Tudo isso é para mostrar que a nova comunidade deve estar na abundancia, na paz e no exercício do pastoreio que faz o povo caminhar bem nesta terra com o foco no céu.

Hoje a liturgia nos fala do amor mutuo, isto é devemos amar com o caminho de ida e volta.

No livro dos atos dos Apóstolos, nos mostra o final da viagem do apóstolo Paulo e Barnabé que fundaram novas comunidades. Aqui o anúncio da boa Nova se estende por toda terra para mostrar que o amor é a medida que se faz no desejo da salvação de toda a humanidade. Ninguém vai ficar de fora, todos são chamados a experimentar e viver a graça de Cristo em suas vidas.

Na comunidade aprendemos a superar os conflitos que surgem e o sofrimento faz parte do exercício missionário. Tudo isso confirma a missão, a mensagem transmitida pelos apóstolos e pelos missionários de hoje. Seguir Jesus é arriscar e vencer com Ele na vitória final da vida em nossa vida.

As comunidades são criadas e surgem os presbíteros que vão liderar essas comunidades cristãs. Esta organização agora aparecem fora de Jerusalém. Esses sãos responsáveis de zelar e dirigir bem as comunidades a eles confiadas. O selo é marcado pela oração e jejum. Não podemos esquecer da oração, da escuta da palavra e da eucaristia partilhada na comunidade. (cf. At 14,21b-27)

Deus é bom e sempre está ao nosso lado porque é compassivo com todos devido ao amor Dele pelo seu Povo (cf. Sl 145)

No Livro do Apocalipse nos mostra como deve ser a marca da comunidade visível que vai ser o amor que todos são chamados a viver em comunidade. Um amor que é serviço, fraternidade, partilha e perdão. É uma nova realidade que vai surgir para todos, isto é um novo céu e uma nova terra. Agora uma bela Igreja que se torna a esposa amada que vai ao encontro do seu amado Deus. (Ap 21.1-5a)

O evangelista João nos mostra a despedida de Jesus com essa exortação amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Esse é o novo mandamento que deve ser a norma seguida pela comunidade. Jesus na sua trajetória no mundo viveu isso intensamente para inaugurar o Projeto de Salvação da humanidade, que foi e é um desejo de Deus Pai. A presença de Jesus é atestada no amor vivido por todos para concretizar o projeto de Deus. Foi uma novidade a uma exigência do antigo de amar o próximo como está em Levítico 19,18, mas agora como uma tônica maior que é como eu vos amei. (cf. Jo 13,31-33a.34-35)

É uma amor intenso que se traduz na entrega total para salvar a humanidade toda. Como esse proposito devemos ser cristãos no mundo, mudar a realidade de morte para a vida, ser coerente na ação e nos gestos, vivenciar uma amor mutuo onde todos tem vez e voz no grande banquete da vida onde Deus prepara para todos.

Que esta liturgia nos ajude a ter esse amor concreto em todas as nossas atitudes para consigo, com Deus e com o próximo. Que sejamos uma Igreja de saída em busca de todos, principalmente os marginalizados de nossa sociedade para que tenham vida em abundância.

Tudo por Jesus nada sem Maria

Bacharel em Teologia Jose Benedito Schumann Cunha





O amor é a medida certa que Jesus viveu


 Resultado de imagem para imagem do quinto domingo da pascoa o amor


Queridos irmãos e irmãs, estamos celebrando o 5º Domingo da Páscoa, Jesus surge em vários momentos aos apóstolos como no Cenáculo, na pesca milagrosa e na figura do Rebanho, mostrando do que Jesus é o bom Pastor. Tudo isso é para mostrar que a nova comunidade deve estar na abundancia, na paz e no exercício do pastoreio que faz o povo caminhar bem nesta terra com o foco no céu.

Hoje a liturgia nos fala do amor mutuo, isto é devemos amar com o caminho de ida e volta.

No livro dos atos dos Apóstolos, nos mostra o final da viagem do apóstolo Paulo e Barnabé que fundaram novas comunidades. Aqui o anúncio da boa Nova se estende por toda terra para mostrar que o amor é a medida que se faz no desejo da salvação de toda a humanidade. Ninguém vai ficar de fora, todos são chamados a experimentar e viver a graça de Cristo em suas vidas.

Na comunidade aprendemos a superar os conflitos que surgem e o sofrimento faz parte do exercício missionário. Tudo isso confirma a missão a mensagem transmitida pelos apóstolos e pelos missionários de hoje. Seguir Jesus é arriscar e vencer com Ele na vitória final da vida em nossa vida.

As comunidades são criadas e surgem os presbíteros que vão liderar essas comunidades cristãs. Esta organização agora aparecem fora de Jerusalém. Esses sãos responsáveis de zelar e dirigir bem as comunidades a eles confiadas. O selo é marcado pela oração e jejum. Não podemos esquecer da oração, da escuta da palavra e da eucaristia partilhada na comunidade. (cf. At 14,21b-27)

Deus é bom e sempre está ao nosso lado porque é compassivo com todos devido ao amor Dele pelo seu Povo (cf. Sl 145)

No Livro do Apocalipse nos mostra como deve ser a marca da comunidade visível que vai ser o amor que todos são chamados a vive em comunidade. Um amor que é serviço, fraternidade, partilha e perdão. É uma nova realidade que vai surgir para todos, isto é um novo céu e uma nova terra. Agora uma bela Igreja que se torna a esposa amada que vai ao encontro do seu amado Deus. (Ap 21.1-5a)

O evangelista João nos mostra a despedida de Jesus com essa exortação amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Esse é o novo mandamento que deve ser a norma seguida pela comunidade. Jesus na sua trajetória no mundo viveu isso intensamente para inaugurar o Projeto de Salvação de humanidade, que foi e é um desejo de Deus Pai. A presença de Jesus é atestada no amor vivido por todos para concretizar o projeto de Deus. Foi uma novidade a uma exigência do antigo de amar o próximo como está em Levítico 19,18, mas agora como uma tônica maior que é como eu vos amei. (cf. Jo 13,31-33a.34-35)

É uma amor intenso que se traduz na entrega total para salvar a humanidade toda. Como esse proposito devemos ser cristãos no mundo, mudar a realidade de morte para a vida, ser coerente na ação e nos gestos, vivenciar uma amor mutuo onde todos tem vez e voz no grande banquete da vida onde Deus prepara para todos.

Que esta liturgia nos ajude a ter esse amor concreto em todas as nossas atitude para consigo, com Deus e com o próximo. Que sejamos uma Igreja de saída em busca de todos, principalmente os marginalizados d nossa sociedade para tenham vida em abundância.

Tudo por Jesus nada sem Maria

Bacharel em Teologia Jose Benedito Schumann Cunha
Tecnologia do Blogger.