O cristão deve ser atuante e não ter medo de evangelizar


Queridos irmãos e irmãs em Cristo, estamos celebrando o 20º Domingo do Tempo Comum, e que esta liturgia   nos ajude a sermos missionários, sem medo, no nosso trabalho pastoral. Seguir Jesus tem consequência para aqueles que são fieis a sua Palavra. Ser profeta no mundo de hoje é ser sinal de contradição, pois muitas coisas não coincidem com a vontade de Deus. Não podemos omitir nunca e não ter medo de trabalhar a favor do Reino de Deus que começa aqui e termina na eternidade com Ele para sempre. Hoje se celebra o Dia dos Pais, e que eles possam ser sinais do amor, do ensino e de aliado de Deus para os seu filhos.
A liturgia da Palavra de hoje nos vai orientar para que possamos ser missionários no mundo cheio de contradição e injustiça.
O livro de Jeremias nos mostra o profeta que foi escolhido por Deus para levar e anunciar a mensagem Dele de modo duro, mas necessário. O que ele diz ao povo não vai coincidir com a vontade do rei e dos generais do exercito. Hoje, muitas vezes devemos fazer algo bom e justo que vai contrariar os poderosos que não querem ajudar os mais pobres e necessitados. Há muita injustiça no mundo de hoje para ser denunciada. Esse é o papel do profeta. Muitas vezes, o clima de paz e calmaria, esconde o sentido real das dificuldades e problemas. Jeremias alerta, pelo perigo que se avizinha, para as autoridades da época e por causa disso foi jogado numa cisterna, mas Deus o libertou. (cf. Jr 38,4-6.8-10)
Na Carta aso Hebreus nos alerta a sermos firmes e corajosos diante de todas as provocações e problemas que nos afligem. Isso nos ajuda a superar as dificuldades com a graça e força de Deus. Essa atitude é como ser um atleta diante de uma competição, pois eles enfrentam, tanto na preparação como no dia da competição. (cf. Hb 12,1-4)
Jesus está caminho de Jerusalém e Ele vai ensinado os apóstolos como uma aula de teologia e de julgamento. O mestre nos mostra como deve ser os seus seguidores, pois a sua presença e a caminhada que fazemos com Ele nos ajudam  a purificar o nosso olhar do mundo e desse modo direcionar os nossos passos para o correto e o certo para fazer o mundo melhor.
Se houver divisões naquilo que devemos fazer não pode ser motivo de desistir ou ficar com medo de prosseguir na nossa missão de evangelizadores. Devemos ser missionário da misericórdia. A paz e a tranquilidade são frutos de ardor pela justiça, pelo amor, pelo perdão e pela misericórdia. O fogo que Jesus fala é a ousadia que devemos agir no bem que devemos fazer, pois o anuncio é de Deus por nós. Se estivermos com Deus não podemos ter medo e receio de assumir os riscos da missão, pois nem todos querem agir como Deus quer. Assim, podemos trabalhar pela causa do Reino de Deus. (cf. Lc 12,49-53)
Que esta liturgia nos ajude a termos escudo de Deus e vontade de sermos missionários no mundo onde carece de Dele e do seu amor
Tudo por Jesus nada sem Maria!


Bacharel em Teologia Jose Benedito Schumann Cunha 14-08-16



A fé deve estar sempre acesa e vigilante

Palavra de Deus

Queridos irmãos e irmãs, estamos celebrando 19º Domingo do Tempo Comum, que vai nos dar pistas para ficarmos atentos e vigilantes na fé sem desanimar apesar da violência, do terrorismo e da maldade das pessoas. A Palavra de Deus nos dá força e nos anima na nossa jornada na terra rumo ao céu. Não devemos ter medo porque Deus está conosco, pois Ele é sempre fiel como foi no passado e é no presente.

No livro da Sabedoria nos mostra a experiência de Israel sobre atuação de Deus na sua historia e é por isso que eles gostavam de recordar a presença de Deus na libertação do seu povo no passado. Isso é prova que com Deus nós podemos superar todas as adversidades do nosso viver. Nada se compara com ação de Deus na nossa vida e na nossa história. (cf. Sb 18,6-9).

Esta leitura nos faz lembrar da Experiência do Povo no Êxodo, isto é, naquela note da libertação quando o Povo de Deus sai do Egito com ajuda de Deus. Para os egípcios foi uma noite de morte e luto devido a não escuta da Palavra de Deus através da boca de Moises a Faraó. Assim, morreram os primogênitos do Egito enquanto para O povo de Deus foi momento de alegria e liberdade. Isso aconteceu porque eles creram no propósito de Deus de libertação do Povo que estava no Egito.

Agora o povo ficou livre e começaram a caminhar no deserto em busca da terra prometida por Deus. È nesse lugar que Deus espera para selar aliança com seu povo e isso aconteceu. É muito bom recordar os feitos de Deus pois isso dá esperança e coragem para a caminhada que devemos fazer nesse mundo sem vacilar diantes das dificuldades e problemas que atinjam a nossa vida.

Na Carta aos Hebreus nos fala do exemplo de Abraão e Sara e eles podem ser modelos de fé para todos que creem em Deus, isto é, como foi  para os povos antigos e como é para nós hoje. Eles acreditaram nas promessas de Deus que iam ter um filho mesmo numa idade avançada e também formar deles um grande povo como de fato aconteceu. É bom sempre ver algo bom acontecer em nossa vida, pois Deus é fiel e quer o bem de todos que creem Nele. (cf. Hb 11,1-2.8-19) Devemos sempre acreditar e isso é fé que ajuda a nos impulsionar para frente diante das promessas de vida eterna e acompanhamento de Deus nesta nossa vida.

O evangelista Lucas nos mostra a experiência dos apóstolos no caminho de Jerusalém com Jesus.  Os discípulos estavam apreensivos e com medo, mas Jesus os encoraja dizendo: "Não temais, pequeno Rebanho, porque é do agrado do Pai dar a vós o Reino". Aqui é sabido que é do agrado de Deus dar para todos o seu Reino . Para isso é preciso estar em atitude de vigília e esperam sem desanimar. Estar precavido e confiante em Deus. Assim Jesus ilustra para eles e para nós hoje três parábolas: Os Servos que esperam o Senhor voltar do casamento, O Ladrão que chega de surpresa e  o Administrador fiel. (cf. Lc 12,32-48)

Todas essas parábolas nos fala de vigilância, pois o bem que nós devemos possuir é dado para aqueles que tem atitude de vigia, de guarda e de fidelidade.

Queridos irmãos e irmãs, que esta liturgia desse domingo seja uma alerta e também de esperança para as maravilhas que Deus tem reservado para aqueles que são fieis a Ele e também para todos que seguem a sua palavra, fazendo a sua vontade que é viver o amor, a partilha, o perdão e ter atitude de misericórdia para consigo e com todos que estão na comunidade, na vida e no mundo.


Tudo por Jesus nada sem Maria!

Bacharel em Teologia Jose Benedito Schumann Cunha
Tecnologia do Blogger.