Dogma: Maternidade Divina - ou seja, mãe de Deus.
Alguns ainda têm dúvidas sobre ela ser a mãe de Deus. Claro que sim, Deus preparou-a como sua mãe. Jesus nunca foi meio homem e meio Deus, nem nunca foi duas pessoas ao mesmo tempo. Ele é verdadeiro homem e verdadeiro Deus(João 5, 20). Então ela é mãe de Jesus, mãe de Deus, Deus pôde escolher sua mãe, pois Ele é todo poderoso. Se formos considerar como alguns falam que ela é mãe só da “carne” de Jesus, então podemos dizer que a carne de Jesus não morreu, pois ressuscitou. Então, Maria ainda é mãe do verbo encarnado, porque a carne existe, vivo está Jesus.
Nas palavras de Santa Isabel também é fato constatar a sua maternidade divina: “mãe de meu Senhor”(Lc 1, 43). Em uma de suas aparições famosíssimas, em Guadalupe (Mexico), Maria afirma ao índio que é mãe do Criador. Com isso, não há a menor dúvida quanto a veracidade de ser mãe de Deus, Deus a fez como sua mãe, as graças de Deus são derramadas por Maria, o Verbo se fez carne,através de Maria. Sacrário vivo de Jesus, Maria foi a primeira a receber o corpo de Cristo, em si mesma.

Os três reis magos também fizeram o seguinte comentário na manjedoura: “viemos adorar ao rei”(Mateus 2,2), portanto ela é mãe do rei dos reis, único adorado.
O fundador do protestantismo, Matinho Lutero, afirmou em uma de suas cartas: “o artigo que afirma que Maria é mãe de Deus está em vigor na igreja desde o começo,e o Concílio de Éfeso não o definiu como novo, porque é uma verdade já sustentada no Evangelho e na Sagrada Escritura”.
Estas palavras "Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó" e "Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei" (Lucas 1,32; Gálatas 4,4) sustentam com muita firmeza que Maria é verdadeiramente a Mãe de Deus. Quando rezar Ave Maria então, reze com bastante convicção..Santa Maria Mãe de Deus!

Este dogma foi declarado em 431 d.c.


Deus abençoe, boa semana e até sábado que vem!
Renato Silveira
autor do Blog Cotidiano Espiritual
email: tato211219@gmail.com

Leia também (outros artigos do autor):

Introdução da série - Dogmas Marianos


Postar um comentário

Sérgio Gleiston disse... 17 de janeiro de 2011 21:40

Concordo plenamente. Inclusive, os estudos acerca das tradições que compuseram os Evangelhos apontam para esse reconhecimento, já nas primeiras gerações cristãs. Lembremos, por exemplo, Marcos, escrito em 60 d.C., escre que Jesus é o "filho de Maria" (Mc 6,3), o mesmo afirmado por Mateus (Mt 13,55), uma década depois. Do memso período são as passagens de Lucas em louvor à Nossa Senhora: "bendito o ventre que te carregou e os seios que te amamentaram" (Lc 11,27. A carta de Gálatas ainda é mais recente (por volta de 50 d.C.). Tudo isso, prova que muitos tinham grande respeito por Maria, por ser a Mãe de Jesus, verdadeiramente homem e verdadeiramente Deus.

Tecnologia do Blogger.