Saber Escolher é a forma de procurar ser feliz



 

Queridos irmãos e irmãs, estamos celebrando o 28º Domingo do Tempo Comum, e a liturgia deste domingo faz a gente refletir sobre a escolha que devemos fazer para ser feliz. Quando escolhemos algo, então as outras não poderemos fazer. Isso é renúncia.

 

A liturgia bíblica nos ajuda a entender isso. A escolha nos ajuda a tomar boa decisão na vida;

 

No livro da Sabedoria temos Salomão que preferiu escolher a sabedoria em vez de ouro e riqueza. Essa sua escolha foi a mais acertada que ele fez. Para governar precisa-se de sabedoria. Ele era recém coroado como Rei de Israel e foi ao templo para agradecer a Deus por isso, e devido a isso Deus gostou desta atitude de Salomão. Então Deus diz: "Pede-me o que queres... e eu te darei...". Salomão reconhece que é muito jovem, e por causa pede um coração sábio para discernir o que é mau e optar pelo bem. Assim ele diz: "Sou um adolescente... dai-me um coração sábio, capaz de julgar o vosso povo e discernir entre o Bem e o Mal...". Deus atendeu deu a sabedoria e muito mais a ele. Nós devemos fazer o mesmo, pois quando queremos estar em comunhão com Deus, nós ganhamos muito mais do que pedimos. (cf. Sb 7,7-11)

 

Na carta ao Hebreus, nos fala da Palavra de Deus e quando a temos em contato sempre, nós encontramos a sabedoria. E assim está escrito: "Ela é viva, eficaz e mais penetrante de qualquer espada de dois gumes". Se conseguirmos trilhar na Palavra de Deus, vamos discernir o que é mal e ainda vamos optar pelo bem que nos ajuda a não sair do caminho de Deus e da felicidade plena. Portanto escolhemos Deus para a encontrar a sabedoria que não decepciona. ( cf. Hb 4,12-13)

 

O evangelista Marcos nos mostra qual é a escolha certa que se deve fazer para seguir Jesus. Aqui temos a passagem do jovem rico que era bem intencionado e interpela Jesus para poder ganhar a vida eterna. Jesus mostra os mandamentos a Ele. O jovem rico falou que já observa os mandamentos desde criança, mas Jesus o adverte dizendo: uma coisa lhe falta, vende tudo e dá aos pobres e depois siga-me.

 

Um chamado extraordinário a Ele, mas como era rico, desistiu de Jesus ficando com as suas posses. Devido a isso Jesus nos fala: como é difícil o rico entrar no céu, pois é mais fácil uma corda passar no buraco da agulha do que um rico entrar no céu. Aqui há algo extraordinário de lição para todos nós, pois seguir Jesus é uma boa escolha e ele é acompanhado de desapego. Não podemos estar numa religião tradicional, mas uma religião viva, de generosidade e de amor a todos, principalmente os que que mais sofrem. Ser feliz em comunidade onde todos partilham e a mesa do banquete é para todos e ninguém passa fome. Que segue Jesus tem muita coisa nesse mundo para viver e ainda a vida eterna. (cf. Mc 10,17-30)

 

Que esta liturgia nos ajude a fazermos a escolha por Jesus e trilhar no seu caminho que é de vida em abundância para todos e sempre está conosco. Assim, devemos ter um coração generoso e bom. Com a sabedoria de Deus vamos na jornada na terra até ao céu.

 

Tudo por Jesus nada sem Maria!!! O Senhor envia-nos a onde mais precisar de missionário da sua Palavra e que possamos ajudar a todos a encontrar o caminho que nos leva à salvação.

 

Jose B. Schumann Cunha

  Qual jeito que Deus quer a família?


 


Queridos irmãos e irmãs, estamos celebrando o 27º Domingo do Tempo Comum, e a liturgia nos chama atenção qual deve ser o tipo de família que Deus quer. Este mês dedicamos a missão. Devemos ser missionário da vida e dos valores evangélicos que são: amor, fraternidade, respeito, solidariedade, misericórdia, perdão e reconciliação.

 

Hoje, presenciamos na sociedade moderna, a desvalorização dos valores da família e o desrespeito a vida tanto no ventre como na preservação da vida e na pandemia. Muitas vezes não querem isso por inovação, por esquecimento ou por ignorar, e a causa de tudo isso é por causa do hedonismo, do materialismo e do individualismo do século XXI.

 

Há valores que nunca podem ser esquecidos como o matrimônio cristão que está no plano de Deus. Deus sempre quer o bem para nós. A liturgia bíblica nos ajudará a entender, compreende a intenção de Deus sobre essa assunto tão atual para o momento presente, pois a família é algo que não pode ser desvalorizado e nem respeitado por poderes dominante na nossa sociedade atual em que vivemos

 

No livro do Gênesis há a narrativa da criação do homem e da mulher. Deus cria para um completar o outro. Tem a missão de ajudar outro com amor e doação. É uma explicação de ensinamento, isto é uma catequese. Vemos que a origem da vida do homem está na iniciativa de Deus. O homem estava só, apestar que dominava todas as coisas e as criatura, mas falta algo para o completar. Deus cria a mulher da sua costela para se completarem juntos e e ela é da mesma natureza do homem. Tudo isso para viver a partilha do amor e de vida. Os dois são ciados na mesmo dignidade e juntos tornam-se a mesma carne, isto é unidade do ser juntamente em comunhão com Deus.

 (cf. Gn 2,18-24)

 

Na carta aos hebreus podemos encontrar o verdadeiro amor de Deus pelo ser humano. O amor de Deus se traduz no envio do seu filho único e amado ao mundo. Ele esteve no nosso meio na condição humana se solidarizando em tudo com a nossa humanidade menos no pecado. A sua entrega e generosidade se faz total na morte de cruz. Assim como Jesus amou a sua Igreja, o ser humano como casal deve ser de entrega total no amor que gera a vida em abundância e dessa maneira testemunha o amor Deus em todos os lugares. Deus é amor sempre e fiel. (cf. Hb 2,9-11)

 

O evangelista Marcos nos mostra o sentido do casamento e quando há permissão de divórcio na Lei de Moises é para proteger a mulher da arbitrariedade do marido. Mas jesus mostra que essa exceção não estava prescrita quando Deus fez a união de duas pessoas acontecer. Deus fez o homem e a mulher para se completarem e tornassem uma só carne. Assim Jesus fala: “Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe, e os dois serão uma só carne...

 

Portanto, o que Deus uniu o homem não separe”.  E ainda continua falando Jesus: "Quem despede sua mulher e se casa com outra, comete adultério".

Qual é o ideal de Deus: que o homem e a mulher se torna família. Isso é plano de Deus. Jesus conclui nesse evangelho que devemos ser uma criança, pois o Reino de Deus é de simplicidade e amor espontânea que as crianças demostram. Devemos proteger a vida sempre e os valores que nunca passa. Que a comunhão e a união se traduzem em gesto de doação de um para outro no diálogo constante

(cf. Mc 10,2-6)

 

Que esta liturgia nos ajude a entende e compreende que a família é algo querido por Deus sempre e que devemos ter a coragem de defendê-la em todos os momentos e que nada perturbe a família, trazendo a ela a paz tão desejada por todos.


Tudo por Jesus nada sem Maria!!!

 Bacharel em Teologia Jose B. Schumann Cunha

 A palavra de Deus não tem dono, ela é de todos!




 

Queridos irmãos e irmãs, estamos celebrando o 26º Domingo do Tempo Comum, este domingo é especial porque celebramos o dia da Bíblia, o livro que contém a Palavra de Deus que foi revelada de modo oral e depois escrita por inspiração de Deus aos que colocaram no papel.

 

A palavra de Deus sempre nos ajuda no decorrer de nossa vida, pois é uma luz que permite encontrar sentido nas diversas situações de nossa existência. Ela não pode ser de exclusividade de ninguém e nem ser interpretada pelo nosso bel prazer ou ideologia religiosa, política, social ou econômica. Jamais podemos usar a Palavra de Deus para impor ou escravizar aos ouvintes por medo, pois isso não corresponde com a vontade de Deus e nem de Cristo quando fala: “conhecereis a verdade e ela vos libertará” (Jo 8,32 )

 

No livro de Números podemos confirmar que a Palavra de Deus não é monopólio de ninguém, pois ela deve ser aberta a aqueles que podem continuar levando-a a todos. Aqui vemos Moisés já idoso e já não consegue dirigir o Povo da Aliança como porta voz de Deus, então escolhe 70 anciãos que depois de ser ungidos pelo Espírito de Deus o ajudaram nessa missão de sempre levar o povo a obediência dos propósitos de Deus e da aliança que foram firmados após a saída do Egito. O interessante é perceber que os dois que não estavam juntos começaram a profetizar em nome de Deus e devido a isso Josué achou um absurdo e abuso deles. Josué propõe a Moisés para calarem a voz  desses dois. A resposta de Moisés foi admirável como podemos ver o que ele falou:  "Oxalá todos recebessem o Espírito e profetizassem!".

 

Hoje , infelizmente os que estão em uma agremiação religiosa ou em uma Igreja, acham que são donos da Palavra de Deus e da comunidade e ficam irritados quando missionários que não pertencem aos seus redis, profetizam, pregam e são dóceis ao Espírito Santo, levando a todos a Palavra de Deus que jamais podem estar aprisionada em guetos ou grupos religiosos. 


Devemos permitir que outros podemos nos ajudar nessa missão de portadores da Palavra e não ser monopólio da Palavra de Deus, pois pelo Batismo temos a missão de ser profetas, sacerdotes e reis do Senhor Jesus Cristo. (cf. Nm 11,25-29)

 

Na carta de Tiago podemos perceber que ele denuncia o acúmulo de riquezas de alguns à custa de miséria de muitos. Isso é a ganância revestida de pseudo bondade. Isto acontece muitas vezes no nosso meio, pois pagamos valores mínimos e miseráveis ao trabalhador que nos serve e nos enriquece, mas o clamor e o sofrimento dele chega ao céu e Deus sabe disso e se manifesta a sua justiça fazendo ao mau servidor que explora os humildes e pobres deste mundo. (cf. Tg 5,1-6)

 

O evangelista Marcos nos mostra que os apóstolos de Jesus não conseguem êxito em tirar o espírito mudo de uma pessoa, mas outros que não são do grupo, conseguem ter sucesso nessa missão em nome de Jesus. Eles não gostam disso e queixaram a Jesus, mas Jesus os repreendeu dizendo:  "Não lhe proíbam... Quem não está contra, está a nosso favor".(cf. Mc 9,38-43.47-48)  

 

Isso quer nos ensinar que não estamos apenas nessa missão e ela é de todos. O Papa Francisco já nos disse: "Devemos ser amigos de Jesus, não donos". Aqui podemos dizer às outras denominações de Igrejas cristãs que não podem ser encaradas como inimigas, mas parceiras pois nos ajudam a difundir a Palavra de Deus contextualizada para cada realidade do povo de Deus que vive sedento da Palavra de Deus, que muitas vezes fica muda, porque não há pregadores e missionários da Palavra.

 

Que esta Liturgia nos ajude a entender a nossa missão de ser porta voz da Palavra de Deus e que ela seja difundida na unção do Espírito Santo em todos os lugares do mundo. Que as pessoas possam ter contato com ela e que sintam amados e acolhidos por Deus pai em Cristo na força do Espírito Santo. Amém


Bacharel em Teologia Jose B. Schumann Cunha


Tudo por Jesus nada sem Maria!!!

Senhor, ajude-nos a sermos missionários da Palavra de Deus e nos envie a onde precisa de Pregadores e a sua Palavra seja difundida a todos os lugares.

Tecnologia do Blogger.